Arquivo para setembro, 2011

No Sofá com o Pirulito: Banda Uó!

Você já tomou um Shake de Amor ou jurou vingança contra um ex-amor? É com essas palavras, sintetizadores, dancinhas sensuais e um toque de tecnobrega que a versão de  Whip my hair da Willow Smith consagrou a Banda Uó no youtube e nas pistas de dança de todo o país. O sucesso do hit rendeu a banda a indicação como webhit do ano no VMB 2011.  A banda é formada pelos músicos Mateus Carrilho, Davi Sabbag e a CandyMel e hoje, representada pelo Davi ela senta no sofá do Pirulito para um divertido bate papo.

davi sabbag

Vocês receberam a indicação do VMB ao lado de bandas já consagradas como Skank e Móveis Coloniais de Acajú e outro estouro fenômeno do youtube, a Banda Mais Bonita da Cida. Como foi para vocês receber a indicação?

Incrível. A gente não esperava porque nossa música era uma versão e por isso não esperávamos entrar numa das premiações mais importantes do Brasil. Pra gente é incrível mesmo, isso dá apoio nosso trabalho e um reconhecimento do nosso trabalho, pois muita gente critica.

Indo pra essa questão de que muita gente critica que você acabou de levantar, posso citar o exemplo dos meus seguidores onde vocês são oito ou oitenta: ou a pessoa super ama ou super odeia vocês. Como vocês lidam com isso?

Normal. A gente até acompanha e chega a ser engraçado, quando alguém começa a gostar da banda logo começa a ouvir: meu Deus como é que você pode gostar disso. Isso também pode ser usado como um termômetro do nosso sucesso também, pois quanto mais comentários negativos nós temos, maior é o nosso alcance. E quanto menos pessoas gostam, menos estão conhecendo. É algo do tipo falem mal, mas falem de mim.

E porque Uó?

Por causa de uma festa que o Mateus fazia com uma amiga dele, pois nós éramos a atração principal dessa festa. Era uma banda fictícia, e acabou que virou o que virou. A gente fez um show de quatro músicas e aquele primeiro vídeo e o pessoal já sabia as músicas e nos recebeu super bem que resolvemos continuar.

banda uó

E como surgiu o Shake de Amor?

A gente meio que “traduziu” a música cantando o que parecia que ela falava em português e assim foi construindo a música, se inspirando também na história da Luciana [Gimenes] que tinha tudo a ver. E tudo acabou encaixando.

As nossas seguidoras querem saber: há alguém na banda que pega meninas ou elas tem que se contentar só com a dança e as músicas?

Só as músicas mesmo, o Mateus eu não sei, às vezes ele brinca disso e é provável que ele vá pra esses lados, mas eu não. Fala pra elas investirem no Mateus que talvez role.

E o que gruda mais: “oração” ou “shake de amor” ?

Há que pergunta né, é claro que é banda uó.

E esse bigodinho?

É uma coisa do nosso universo, a gente só adicionou o glitter. A gente já usou bastante e achamos legal, tipo meio cafona e meio moderno. O antigo sempre vai tá dentro do nosso mundo, por isso a gente gosta de usa.

O que vem na cabeça quando falam uó pra vocês?

Vem tudo de bom e ruim, pois uó é a maioria das coisas que a gente gosta e os outros não gostam. Por exemplo: as bandas. É um mesclado de bom e ruim como se fosse uma coisa só, sabe.

E com a visibilidade do VMB, quais os projetos da banda?

A gente quer fazer um cd e vai lançar mais uma nova versão agora e entrar na produção do disco. E claro, continuar fazendo show até o final do ano.

banda uó

Vamos às rapidinhas:

Nome e idade: Davi Sabbag, 22

Teu twitter: @davisabbag

Cidade: Londres.

Um sonho: ser conhecido mundialmente

Pobre: …essa é polêmica… Acho que p pior tipo de pobreza é a de espírito.

Rico: não quero nada clichê, ai… Sei lá… Quando você tem tudo que você quiser.

Um site:  Google.

Um homem: vixe Maria [eternidade pensando][ Davi, um homem, foram tantos é?] …há, põem o Jack.

Uma mulher: que perguntas complexas…a não, no homem coloca aí o Gandhi e na mulher Frida Kahlo.

Melhor sexo feito: ai que intima essa… Com quem você ama.

Você em uma palavra: eu? Sorvete. [é bom pra chupa né] é bom sim, porque é melhor que tudo…risos…

Uma mensagem para os tweeteiros do Brasil:  “O vento cai, o frio desce, mas aqui dentro predomina esse amor que me aquece.”

hahahah Sandy, a Devassa. Pelo menos ela dá o cu né, tem gente que só fica no twitter… Aham (risos eternos)

Em quem você daria um BjoMeChupa: Jake.

Uma pergunta que você sempre quis ouvir: Você quer um milhão de dólares pra se divertir?

E como você se divertiria? Com certeza faria mais dinheiro pra se divertir ainda mais.

Davi, sucesso para vocês e muito obrigado pela entrevista. Nós ficaremos aqui na torcida por vocês para que levem o prêmio.

Eu que agradeço e peça pro pessoal votar pois a gente quer muito ganhar.

E esse foi o bate papo com o Davi Sabbag da Banda Uó. Para quem quer curtir a Banda Uó ao vivo, ela se apresenta dia 14 de outubro em Porto Alegre, dia 15 em Florianópolis, dia 16 em Curitiba e dia 21 em Uberlândia. Não deixem de comentar a entrevista do Davi e de sugerir o próximo entrevistado do blog. Vocês podem votar em Shake de Amor para ganhar o VMB aqui.

Como novidade, vocês também podem conferir esta entrevista em áudio!

Um super BjoMeChupa,

@PirulitodBanana


Tapinha, pode?

Parece clichê, e um assunto saturado, mas na hora de falarmos sobre os hábitos na cama ainda existe um tabu que rotula as pessoas que assumem o que gostam e o que são como pervertidas. As pessoas insistem em ignorar o que realmente gostam e são por causa de um conceito ultrapassado de moral que insiste em continuar enraizado nas nossas ações.

E de um modo geral, quando o assunto preferências sexuais vem à mesa, ele já vem cheio de preconceito e estereótipos, ‘não, se a mulher faz isso é uma vadia’, ‘se o cara gosta disso ele não é confiável’, ‘quem faz isso é pervertido!’.

Mas se fomos analisar o real significado de pervertir, do latin per vertio, que significa por de lado, pôr-se a parte, ou seja, sair do padrão, todos nós somos pervertidos em alguma parte de nossas vidas, e acredito que a essa altura da humanidade, nós já aprendemos que não é só porque é padrão que é bom, ou está certo.

Começo falando do tapinha, pois para mim e um ícone de quando as pessoas abrem a mente, e se libertam dos paradigmas e padrões de prazer, quando assumem que é possível ter prazer com mais! E o tapinha é o mais falado abertamente.

silvio santos tapinha

Super amo as introduções didáticas e claras que a Talitta faz, e quando ela falou no tapinha eu tive que entrar nesse post. A mais ou menos uns quinze dias eu tava lá com a minha peguets, até que ela fez uma cara de safada (sim, eu também pego meninas para variar o cardápio) e eu sem pensar duas vezes tasquei-lhe um “tapinha” na cara. Na mesma hora meu mundo parou: QUE DIABOS EU TINHA FEITO. Os segundos subsequentes entre o tapa e a reação dela viraram uma eternidade. Ela era toda pura e certinha, será que ia terminar tudo ali? Ao som de frases do tipo me possui e me maltrata a coisa continuou e bem quente. Agora o fato de eu ter dado um tapinha faz de mim um ser violento que deveria pagar com a Maria da Penha? O fato dela ter curtido a faz uma mulher de bandido que adora levar na cara? Somos imorais por isso? É claro que não, pois o que fazemos na cama não muda em nada nosso caracter e credibilidade na vida fora dela. Mas por que tanto tabu na hora de falarmos sobre fetiches, novas formas de relacionamento e atitudes na cama? Se conversado antes pelo casal, um tapinha, um palavrão, um puxão de cabelo podem ser elementos super divertidos e que dão um “tchan” a mais na relação, né ordinária? Claro, que sexo é feito para realizar e satisfazer todos os parceiros envolvidos(ia falar o casal, mas hoje em dia né), se um dos lados não curte é hora de procurar outra coisa para fazer. E mulheres e passivas, sabemos que vocês adoram discutir a relação, que tal inserir temas como tapa na cara, fio terra e chicotinho na próxima DR? Acho que os homens iriam adorar. Mas e aí Talitta, o que você tem a dizer sobre o tapinha?

Olha Pirulito, ainda estou no grupo do ‘será’, ‘será mesmo que não vão pensar mal de mim?’, ‘será que eu sou normal por querer isso?’, será? Acho que ainda vivo presa a muitos ‘dogmas’ que eu na verdade nem acredito, mas que insistem em me perseguir.

Acho que ali, entre quatro paredes, vale curtir o momento, vale ser o que você e o outro estiverem dispostos, vale beijo, abraço, mordida, tapinha, vale mesmo é ser feliz!

velhos

E vale gozar sempre no final né, o que não vale é fingir tesão e depois nunca mais aceitar um telefonema da pessoa. Mas e para vocês: discutir fantasias e realizá-las na cama torna uma pessoa pervertida? O que deixaria você feliz na cama? Você é do tipo soltinho ou reservado? Conte para nós e já deixe a sua sugestão para o próximo “com T. e Banana na cama”, que é a nova fase do SAC do Pirulito.

Um super BjoMeChupa,

@PirulitodBanana

T.

Saudades de Malhação

Sou da época que a Malhação era numa acadêmia, que o André Marques era magro e que a “novelinha” era super divertida. Agora, ela não passa de uma escola para futuros protagonistas com cara de planta das novelas da Rede Record e um depósito de artistas da Globo que estavam mofando por falta de uso.

No quadro “o que é bom a gente desenterra” de hoje, vasculhamos o facebook do @ialves que é especialista em achar pérolas e trouxemos até vocês um capítulo de 1996 com a participação da Alanis Morissette.

Gostaram? Nos comentários não esqueçam de sugerir qual a próxima “coisa” que devemos desenterrar aqui no blog.

Um super BjoMeChupa,

@Pirulitodbanana

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: