Posts marcados ‘ajuda a casais’

Trazemos seu amor (próprio) em três dias!

Hoje é dia de um novo começo, meu começo por aqui. Vou junto com o Pedro, dar dicas e conselhos de relacionamentos e pitacos na vida de vocês. Mas aí, vocês se perguntam, quem sou eu na buatchy para dar conselhos? Por isso, decidi que no primeiro post, vou me apresentar, e mostrar um pouco do meu país das maravilhas, dividindo também um pouquinho da minha vida para vocês darem palpite também!

Baseada no empirismo da minha vida, acabo de constatar a veracidade de uma das frases populares mais famosas -escrevo assim bonito porque a frase é meio chula, rs.

Já dizem os sábios que “amor de p… quando bate fica“, um blog bem famoso, que dava dicas de relacionamentos para mulheres, sempre citava o dito amor de p… e eu, sentia um certo distanciamento dessa realidade, pois mesmo minhas paixonites de uma via só, sempre surgiram de uma admiração que mesclava com o jeito de ser da pessoa. Até que eu conheci ‘ O Gigante do Ceará’.

Estava aproveitando o descanso e a vida boa nas minhas férias pelo litoral cearense e me divertindo com os amigos, fazendo festa, passeios, só alegria, mas queria um amor de verão, rs. Acabou que rolou um ‘só por uma noite’, e eu fui informada disso antes mesmo do oi, pois logo depois das apresentações fui avisada de que iria embora no dia seguinte. Ele é um espécime local, e vocês já devem ter escutado aquela lenda urbana sobre os dotes do povo daquela região, tudo verdade!

O ato como um todo foi incrível, o cara tem habilidades com todas as partes do corpo que interessam, mãos ágeis, boca ágil, e o resto…Ahhhh, o resto foi simplesmente surpreendente. Eu me senti querida, desejada, bonita, enfim tudo que uma mulher espera nessas horas, e que normalmente eu só consigo com um grau de intimidade, de conhecimento. Fui embora com aquela sensação boa, de paixonite instantânea, sabe?

Voltei para São Paulo com as melhores memórias possíveis, das férias em que eu tive meu primeiro “amor de pica”! Mas faço o que com esses suspiros? Com essa vontade de mandar mensagens? Com essa paixonite? Considerando essa distância e na verdade o fato de não conhecer o alvo da paixão de verdade?

Meu auto-conselho foi, seguir em frente, desencanar, isso só pode ser hormonal, rs. Pensando racionalmente, isso não tem porque ser mais do que foi. Já se passaram quase 20 dias, e eu ainda sonho, e imagino o reencontro com “O Gigante do Ceará”, mas sei que se passasse para a fase dois, ia acabar sendo uma porcaria, e deixaria de ser minha história fofinha de férias.

noiva_stressada

AHHH ESSAS MULHERES! Era para a Alice só se apresentar e falar que na sexta feira, dia 22/06, estreia aqui no blog do Pirulito de Banana o “Consultório Sentimental”, mas mulher não sabe ser objetiva, tem que dar voltas, contar a história do pinto gigante cearense, perguntar se a mãe tá boa e tudo mais logo na primeira apresentação. Enfim, ódio de gente que pega intimidade em menos de três minutos e já sai arreganhando a vida. Eu sou o Pedro e junto com a Alice estarei dando um choque de realidade nas pessoas que andam perdidas em seus relacionamentos, seja o relacionamento com os pais, irmãos, amigos, namorado, marido e coisas do gênero. Sou especialista em consertar a vida amorosa alheia, enquanto a minha, bom a minha não interessa a vocês neste momento. Acredito sim no amor, mas até agora não o vi, vejo gente que se acomoda e se acostuma com o outro, que empata a sua vida e a vida da pessoa “amada” em vez de partir para a felicidade. Sou racional demais, desconfiado demais, mas sou gente boa.

Juntos nós vamos tentar devolver o seu amor próprio em três dias,  comentando para cada situação relatada a visão feminina dada pela Alice e a versão masculina (e mais sensata) feita pelo Pedrão aqui! Para nos consultar basta você mandar sua história de amor mal resolvido, coração partido, depressão-pós-pé-na-bunda, amizade traída e etc etc etc pro e-mail  pirulitodebanana@gmail.com. O PB repassa sua história para nós e depois você vê o estrago que causaremos em sua vida aqui.

Um sincero beijo,

Pedro e Alice,

Alice e Pedro!

Anúncios

SAC do Pirulito: Sexo a três e agora?!?

O Serviço de Atendimento ao Chupador Consumidor volta em 2010 para atender suas dúvidas, anseios e perturbações sobre, sexo, relacionamento, moda, estética, enfim, pode mandar qualquer dúvida que o @PirulitodBanana ou sua equipe respondem. Hoje vamos atender uma amiga do Rio Grande do Sul:

Oie!
Não me identifica por gentileza… vergonha…
Enfim..
O esquema é o seguinte, tenho um namorado que tem um fetiche.
Aquele fetiche masculino de ter duas gurias ao mesmo tempo.
E aí começam meus problemas:
1. adoraria fazer isso pra ele, sou mega curiósa, mas, sou ainda mais ciumenta. Ou seja, eu e a outra moça tá na boa, mas a moça com ele é que me complica sabe. A menina com ele me provocará muiiiito ciume.
2. ele diz que tem vontade, mas diz que não acha bacana trazer uma terceira pessoa pra curtir com uma namorada séria (que no caso, sou eu), diz ele que seria vulgar demais.
Eis que entro num empasse:
Quero fazer isso pela experiência com outra menina, pra realizar o fetiche dele (e o meu), mas rola aquela ciumeira, e aquele preconceito (dele), e tbm não quero passar por pirigueti né.
E agora, comofassss???


Sexo a três é gostoso, faz bem e pode ser ótimo para apimentar uma relação, mas para não transformar esta experiência em um pesadelo é preciso saber o nível de maturidade da sua relação. Na hora H, e falo por experiência própria, o “terceiro” elemento será disputado pelos dois, ela(e) é que é o prato principal da noite, você e seu namorado vão querer saber de aproveitar a menina(o) e não haverá espaço para pensar em ciúmes, tenha certeza disso. O problema é o depois, já vi muitos casais entrarem na “pira” de que durante o sexo o parceiro deu mais atenção a terceira pessoa e isso pode ruir a relação. O importante é entender que naquele momento tudo era permitido e que não houve infidelidade. Por isso, que relações mal resolvidas ou imaturas podem não durar após a brincadeira.

Sobre a atitude do seu namorado, vamos as conclusões a respeito: ele pode ter pensado melhor e concluído que seu relacionamento não está muito apto a tais aventuras. Ele também pode achar que você não está contente com a idéia e arrumou esta desculpa para “sair a francesa” desta situação. Ou a  pior delas: ele possui a visão século XIX de relacionamento. Nesse caso ele é aquele ser que acha que “mulher de casa” é quase um ser assexuado. Muitos homens possuem esse pensamento de que a mulher séria é aquela que só faz o tradicional papai-mamãe, não sensualiza e é uma quase múmia na cama. Esta visão deturpada não aceita a menina seja dama da sociedade e puta na cama e fica horrorizado com qualquer sinal de libertação dos prazeres da mulher. Tenho muitos amigos que sofrem desse mal e o triste é que muitos deles recorrem a terceiras para realizar os fetiches que acham indignos da oficial.

A dica do PB é simples, dialogue com seu parceiro sobre o assunto. Se acha que pode assustá-lo comece falando de fantasias mais bobinhas, como você se vestir de enfermeira, fazer no meio do mato, usar brinquedinhos até chegar no assunto. Jogue verde para colher maduro. E sobretudo, vá esclarecendo a ele que namoradas que querem curtir fetiches junto com o namorado não são piriguetes! Ser vadia é um estilo de vida que não pode ser definido só pelo que fazemos na cama. Espero ter ajudado. E se os leitores tiverem mais idéias e opiniões sobre o assunto, please comentem!

Um super #BjoMeChupa,

@PirulitodBanana

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: