Posts marcados ‘saia da rotina’

Like a date: Pecados capitais

Hoje eu acordei com a inspiração dos apaixonados (embora eu esteja longe desse estado), e vou dar dicas para seus ‘dates’ fora da bolha da rotina e do comodismo. Os lugares específicos serão em São Paulo, mas isso é fácilmente adaptável a qualquer região. Se você estava querendo um lugar diferente para levar seu par chegou a hora!

E para apimentar e dar mais graça, cada opção de date será relacionada com alguns dos pecados capitais. “Façamos, vamos amar!!!!”

Luxúria

casal
A luxúria é de longe um dos meus pecados favoritos, é o apego aos prazeres carnais. Essa dica é para aquele casal que está cheio de t…amor e não se importa de mostrar isso para o mundo (ou alugar um quarto,rs).
Opção 1 : Restaurante da Moda + Balada da Moda + Hotel da moda. Nada mais excitante do que se vestir para ‘o crime’ e sair a dois com o propósito de uma noite cheia de prazeres e excessos. Em seguida rumar para uma casa noturna descolada para uma exibição do amor, a dica de hoje é a Mokai, se é para se exibir, ali é o local certo.

Gula

gordos
Depois da luxúria a gula é um dos meus pecador favoritos, afinal tem coisa melhor que comer, comer e comer? Por isso que fizemos uma dica de passeios incríveis para aqueles casais com almas gordinhas!
Opção 1 : Domingo Oriental
“Lá na Liberdade”, esse é um lugar que mistura a cultura e a gastronomia oriental com um toque de brasilidade, que nós, gordinhos de espírito, ou não, adoramos. Nada como chegar para lá na hora do “brunch” e aproveitar todas aquelas delicias, de acarajé a doce de feijão azuki. Esse é um dia para usar calças largas,rs. E vocês conhecem a  Yogofozen, né? (a partir de agora chamado Yogocoiso, meu apelidinho carinhoso), lá tem uma loja onde você monta o seu, com tudo que quiser colocar dentro, uma delícia!

Opção 2: Paulista
Porque a Paulista sempre é uma opção, independente do tema, rs. Naquela região encontramos restaurantes de todos os tipos, de fast food a comida marroquina. Mas eu gosto mesmo é de petiscos, comer um crème broulè na reserva cultural, uma quiche no Itaú, umas porções nos botecos perto do trianon, enquanto apreciamos a paisagem urbana, e tudo que a região tem para oferecer.

Soberba

soberba

O pecado de quem está afim de esfregar na cara da sociedade sua superioridade e seu grande entendimento sobre a cultura, ‘o universo e tudo mais…’ Para os casais que sabem tudo, vai nossas opções de programas geek-romântico:

Opção 1: Cinema + Café = Reserva Cultural

Escolher um dos filmes interessantes que estiver passando por lá e estender o programa para o café francês ali mesmo. O cardápio possui todos aqueles nomes que precisamos fazer biquinho para falar e que são um convite ao romance!

Opção 2: Geeks no Parque
Eu acho que acordei mesmo muito brega, não sei o que acontece, mas enfim, o combo parque pode trazer infinitas possibilidades, num único passeio você pode reunir exposição, passeio de bike, teatro, show e pic nic.
Aqui para São Paulo temos algumas opções de parques: o Ibirapuera, o Água Branca  , o Villa Lobos e o Trianon. Confesso que tenho uma daquelas toalhas xadrez de vermelho e branco, acho que estar em contato com a natureza também desperta romance.

Outras opções interessantes para encontros diferentes são as feirinhas e bares:

Tem a feirinha da Benedito Calixto com suas antiguidades e comidinhas.

A Drosophyla, vale a pena visitar o site também pois, tenho certeza que vão ficar com vontade de conhecer, a trilha sonora dele é muito boa e o tema do bar explora todas as influências e diferenças dos destinos visitados pelos donos do bar.

O Ludo  que conta com um cardápio com cerca de 600 jogos, você vai revisitar sua infância enquanto aprecia uns ‘bons drink’ e aperitivos deliciosos.

O que acharam? Vocês tem dicas de lugares para compartilhar por aqui?

Querem mais opções com os outros pecados?

Xoxo!

T.

Anúncios

Jibber Jabber – Saindo da rotina em São Paulo

Faz um tempo que essa expressão está na minha cabeça.
Em um episódio de The Big Bang Theory a Penny brinca com o Sheldon: “oh god, you’re going to jibber jabber about jibber jabbering! rs”. Que em português fica algo como “Oh Deus! Você vai falar abobrinha sobre falar abobrinha! rs”. Acho engraçado a importância que damos as coisas, a nossas atividades diárias e a nossa vida como um todo, elencamos a prioridades baseadas no que a sociedade diz importante, e acabamos deixando nossas ‘abobrinhas’ que nos fariam muito felizes de lado.
O post de hoje é isso: Jibber Jabber para fazer em São Paulo, rs (se é que se enquadra nesse contexto, eu não domino muito o uso de expressões). Sabe tudo aquilo que é imperdível mas que não te adiciona muito do ponto de material, mas te faz extremamente feliz? É isso!

Categoria 1: Paulista e arredores:


– Ler parte de um livro na Livraria Cultura no Conjunto Nacional: essa é uma ‘abobrinha’ que pode render em algo produtivo ou não. Eu normalmente escolho um título que eu não compraria nunca, ou um guia de um lugar que não pretendo visitar, e me sento em um daqueles puffs e embarco na leitura, que quase nunca chega ao fim, mas que me traz várias idéias malucas de coisas que eu poderia fazer. As vezes acabo comprando algo que havia pré-julgado ruim, e as vezes acabo tendo a certeza de que de fato era ruim. O legal é que existem muitas pessoas que fazer isso lá e  as vezes conseguimos novos amigos fora da bolha!
 
– Paulistar ‘sem rumo’: É o complemento do que disse acima, mas a Paulista é grande demais, e se mostra com várias faces e possibilidades de entretenimento, rs. Eu gosto de sair sem rumo, e descobrir o que vou fazer quando chegar lá, talvez encarar um programa cult e visitar várias exposições de artistas que até então eu não conhecia, apreciar um ‘café’ num centro cultural, e refletir sobre o que vejo. Em outros dias eu acabo sentada em um bar, tomando cerveja e discutindo sexo dos anjos com os amigos de amigos que sempre encontramos por lá. Porque sim, lá é imenso, mas é completamente impossível não encontrar um conhecido, ou fazer um.
 
– “Descendo a Rua Augusta a 120km/h”: 120 pode não ser a velocidade, mas é o clima de descer a Augusta, fazer mil coisas de uma vez, se misturar com gente diferente, freqüentar as baladinhas, bares e ser quem você quiser!!! Não vou me prolongar, porque o que acontece na Augusta, fica na Augusta!
 
– Entrar no Itaú Cultural sem ter hora para ir embora: Experimentar uma sobremesa no espaço “Panorâmico” (nome do restaurante/café), e entrar na exposição, literalmente, no Itaú cultural nós fazemos parte do que estiver acontecendo, mais iteratividade impossível, são gostos, texturas, cores e sons que se modificam conforme o visitante.
 
– Comer, comer e comer: Se tem algo de excelente para fazer em São Paulo, é comer, se você quiser comida Tailandesa às 3h00, você pode ter. E a Paulista por ser o coração dessa cidade, traz grande parte das possibilidades que São Paulo oferece, japonesa, chinesa, pastel com caldo-de-cana, alta gastronomia, comida vegetariana, enfim, o seu desejo no dia.

– Se vestir como der na telha e andar pela rua: Encarar um personagem, uma perua bem vestida, ou uma preguiçosa de pijamas…São Paulo é uma selva maluca, com gente de todo tipo, acho incrível como podemos ser quem quisermos aqui e ainda assim passarmos desapercebidos. Experimentar um dia ser o oposto do que você costuma ser.
 
Minha dica para a Paulista é a Casa das Rosas:

Esse é um dos meus dois lugares favoritos no mundo. Foi o presente de casamento do Ramos de Azevedo para sua filha mais velha. A estrutura da casa se mantém, assim como seu jardim, como um espaço de cultura e poesia, em meio a Avenida Paulista. Vale o passeio, principalmente nos meses da primavera onde as roseiras encantam a quem visita.

Categoria 2 ‘urbenando’:

– Assistir um filme de um gênero totalmente fora do seu normal: Ir num Centro Cultural, e experimentar um gênero novo um drama suéco, uma comédia européia, um documentário russo, sair do padrão, daquilo que está sempre a nossa frente. Para isso temos o Centro Cultural Banco do Brasil, o Centro Cultural São Paulo, o Espaço Unibanco, a Reserva Cultural…
 
– Turistagem no estilo ‘expedições urbenauta’: Tem um livro do Eduardo Emílio Fenianos, chamado “Expedições Urbenauta: São Paulo uma aventura radical” que narra a história desse paulistano, que resolveu ser turista na própria cidade. Ele saiu em um carro a ‘urbenave’ visitando todos os pontos, turísticos, ou não da cidade. Essa é uma experiência que pode ser aplicada a qualquer cidade, nós sempre deixamos para depois conhecer o que está perto de nós, e essa é uma experiência que pode ser muito interessante, uma das minhas maneiras favoritas de ‘estourar a bolha’, fazer caminhos diferentes, entrar em ruas que nunca entrei, vistitar museus e atrativos que eu sempre passo em frente, mas nunca presto atenção. Minha dica para os paulistanos vai ser o museu Lasar Segall.

É um museu casa, que o Lasar Segall viveu, onde existem exposições fixas e temporárias de suas obras, além de um cinema. Fica na Vila Mariana, Rua Berta, 111.
 
Espero que tanham gostado das dicas.  E vocês, o que tem de interessante na sua cidade que quase ninguém vê?
Ps.: Na semana que vem tem mais aventuras em Jericoacoara…me aguardem!
BMC!

T.
 
 

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: